B. Evidence-Based Management of Diabetes in Older Adults

Este artigo de revisão enfatiza a alta prevalência de diabetes mellitus no idoso (25,2%) e a escassez de ensaios clínicos nesta faixa etária. A idade e a duração do diabetes estão mais diretamente relacionados às complicações macrovasculares e óbito, enquanto que a duração do diabetes e a intensidade do controle glicêmico estão mais associadas às complicações microvasculares, principalmente nos pacientes mais jovens. O controle glicêmico intensivo não reduz a morbimortalidade cardiovascular, podendo até agravá-la, como foi percebido no estudo ACCORD. As novas insulinas análogas, como Glargina e Degludec, são mais indicadas em idosos, pelo menor risco de hipoglicemia, e apresentam boa segurança cardiovascular. A metformina, os agonistas do GLP1(Liraglutida, Exenatida, Lixisenatida, Dulaglutida) e os inibidores da SGLT-2 (Dapagliflozina, Canagliflozina, Empagliflozina), em especial, parecem ter bons efeitos na redução da morbimortalidade cardiovascular. Os Inibidores da DPP-4 (Dipeptidil Peptidase-4), os agonistas do GLP1 e os inibidores da SGLT-2 apresentam outras vantagens adicionais no idoso, como o baixo risco de hipoglicemia.

ID: 130

Observações
Necessário Logar