Triglycerides Paradox Among the Oldest Old:

Este estudo prospectivo avaliou a relação entre triglicérides e risco de declínio funcional e cognitivo, fragilidade e mortalidade em idosos com 80 anos ou mais. Os autores observaram que cada incremento de 1mmol/L nos níveis séricos de triglicérides (equivalente a 88,8mg) foi associado à redução de 20% no risco de declínio cognitivo, dependência em AVD básica e fragilidade durante os 5 anos de acompanhamento. Da mesma forma, maiores níveis séricos de triglicérides (cada incremento de 1mmol/L) foi associado com redução da mortalidade em 5 anos (OR 0,79, variando de 0,69 a 0,89). Assim, em idosos muito idosos, a hipertrigliceridemia pode ser considerada um fator protetor e não um fator de risco para desfechos adversos. A conclusão do estudo sugere revisitar o conceito de "quanto mais baixo, melhor" para os triglicérides, da mesma forma que ocorre com outros fatores de risco, como o próprio LDC-Colesterol, pressão arterial, índice de massa corporal (IMC) e TSH.

Posição do NUGG: Nos idosos muito idosos (≥ 80 anos) e nos idosos frágeis, o conceito de fator de risco deve ser revisto, tomando-se todo cuidado para se evitar a "medicalização" excessiva (sobretratamento), além da "rotulação" excessiva ("overdiagnosis"), ambos associados a enorme risco de reações adversas, mais do que a próprio fator de risco que está sendo tratado. A prevenção quaternária é a grande estratégia preventiva capaz de melhorar a vida do paciente ("Primon non nocere").

ID: 142

Observações
Necessário Logar